4:58 ,Sexta-feira, 31 Outubro, 2014

“O MPLA tem medo do cidadão” – Chivukuvuku

Líder da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, fala sobre os seus projectos de superação do “Eduardismo” em Angola.O MPLA tem medo do cidadão, quem manipula não pode permitir ao cidadão ver a verdade. Ora se o MPLA tem mais de cem deputados e a oposição pouco mais de trinta, não tem esse partido argumentos para demonstrar ao Ler mais >>>

Relatório Guiné-Bissau e Angola são dos países com mais fome e subnutrição

O que é a fome? A fome é a escassez de alimentos que, em geral, afeta uma ampla extensão de um território e um grave número de pessoas. Num índice sobre fome e nutrição, um total de 45 países foram analisados no contexto de 22 indicadores que procuram medir a atuação dos governos nas áreas Ler mais >>>

Alerta:Em Luanda,crianças não entram no sistema formal de ensino por falta de registo civil.

As crianças não registadas à nascença têm problemas em aceder à educação, cuidados de saúde e apoio social, e são mais facilmente alvo de escravidão e de tráfico humano . “O registo de nascimento é mais do que apenas um direito. É o modo como uma sociedade começa por reconhecer a existência de uma criança”, Ler mais >>>

Exigência Seguro obrigatório em Angola gera filas e centenas de multas

Embora definido formalmente como obrigatório, Angola viveu nos últimos anos com o fechar de olhos das autoridades às viaturas que circulavam sem seguro de responsabilidade civil, a situação chegou ao ponto de, segundo as autoridades, apenas três por cento do parque automóvel, que ronda o meio milhão de viaturas, estar seguro. agora com a exigência Ler mais >>>

Professores que se manifestaram na Huíla detidos durante três dias

O sindicato de professores pede intervenção do Presidente da República para resolver a crise devido à incapacidade do Governo local. A persistente e alarmante violência institucional, a exemplo da tortura e do abuso de autoridade, corroem a integralidade do sistema de justiça e segurança pública. É urgente e necessário que as autoridades angolanas aprendam e Ler mais >>>

Empresas petrolíferas em Angola obrigadas a efectuar pagamentos em kwanzas

aekwanza

As empresas do sector petrolífero que operam em Angola estão obrigadas desde segunda-feira a efectuar os pagamentos das despesas fiscais devidas ao Estado e dos fornecimentos de bens e serviços de residentes cambiais exclusivamente em kwanzas, moeda nacional.O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José Massano, disse em Junho passado que a nova lei vai permitir que parte dos fluxos financeiros que se mantinham no exterior e que resultavam da actividade petrolífera passem a estar domiciliados no país.Entre as vantagens desta medida monetária, José Massano destacou que “isso vai trazer maior capacidade ao sistema financeiro no apoio ao desenvolvimento da economia nacional e também permitir uma maior integração do próprio sector petrolífero na economia angolana, dado o seu peso relevante.”Só nos resta agradecer ao Santo Petróleo que é responsável por 80 % das receitas em divisas captadas por Angola,seriamos todos muito mais felizes se este tipo de notícias se repercutisse da mesma maneira em todos os angolanos ,esta sensação de estabilidade e riqueza,infelizmente é um número diminuto de angolanos a usufruir deste crescimento económico todo.O Produto Interno Bruto cresce a uma média anual de 11%, a inflação homóloga desce para menos de 10% e quais são os reais benefícios para o cidadão comum? Salários de miséria generalizados,desemprego e o mercado informal em alta,educação e saúde não é preciso falar,habitação com os imóveis super-infalcionados com as construtoras e os corretores a nadar em dinheiro,corrupção generalizada retorno para população quase nulo,miséria e exclusão social,enfim estes números e estátisiticas, são uma bela propaganda do Governo para o exterior,sinceramente é depressivo pensar nas condições do nosso País. (Comentario CAI)

 

As empresas do sector petrolífero que operam em Angola estão obrigadas desde segunda-feira a efectuar os pagamentos das despesas fiscais devidas ao Estado e dos fornecimentos de bens e serviços de residentes cambiais exclusivamente em kwanzas, moeda nacional.

A obrigatoriedade deste procedimento decorre da entrada em vigor da Lei sobre o Regime Cambial do Sector Petrolífero, que obriga a estatal Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) e as empresas estrangeiras a depositar em bancos angolanos os valores necessários ao pagamento das despesas fiscais devidas ao Estado e ainda os pagamentos de fornecimento de bens e serviços por residentes.

A Lei prevê que apenas os valores referentes a lucros ou dividendos, incentivos e outras remunerações de capital e o valor da amortização de investimentos podem, no caso das associadas estrangeiras, ser depositados no estrangeiro.

massano

De acordo com a agência noticiosa angolana Angop, o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José Massano, disse em Junho passado que a nova lei vai permitir que parte dos fluxos financeiros que se mantinham no exterior e que resultavam da actividade petrolífera passem a estar domiciliados no país.

Entre as vantagens desta medida monetária, José Massano destacou que “isso vai trazer maior capacidade ao sistema financeiro no apoio ao desenvolvimento da economia nacional e também permitir uma maior integração do próprio sector petrolífero na economia angolana, dado o seu peso relevante.”

O regime cambial para as operações petrolíferas era, até agora, regulado sob a forma de anexos aos decretos que regulam os contratos de associação em participação e de partilha de produção e de serviço.

 


Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo