14:31 ,Domingo, 20 Abril, 2014

Corrupção em Angola «é real» vamos acabar com esta triste sina!

“A impunidade é a matriz e a geratriz de novos e insensatos acontecimentos e o desmoronamento do que ainda resta de bom na alma humana” (Leon Frejda Szklarowsky) Corrupção com rosto ,com nomes,mas no nosso País como a impunidade anda de mãos dadas com a cumplicidade, “resta-nos esperar que a justiça em Angola seja igual Ler mais >>>

Angola: Desminagem só termina em 2028,até lá continua a haver mortos e estropiados

Deveria haver mais interesse político em Angola sobre o tema da desminagem, deveria ser uma prioridade nacional, com alocação de mais recursos para acelerar o processo e não estar tão dependente dos doadores internacionais. “ Angola já afirmou que projecta precisar de mais de 10 anos para além de 2018″, Os acidentes com minas deixadas Ler mais >>>

INTELECTUAIS E LUTA PELA INDEPENDÊNCIA

A luta pela independencia foi um grande passo para autonomia de Angola. Queremos mudar comportamentos e despertar consciências,   com a apresentação de factos históricos para informar os nossos amigos e membros a formularem opiniões e criarem valores através da reflexão, o que achamos  importante e útil para podermos sensibilizar a classe política estabelecida e a emergente,e exercermos a nossa cidadania em Ler mais >>>

Angola regista em um mês cerca de três mil acidentes rodoviários e 681 mortos

Em média, vinte e três pessoas morrem diariamente no país devido a acidentes de viação e 89 ficam feridas. Angola tem a terceira maior taxa de sinistralidade rodoviária do mundo. ”Angola registou de Janeiro a Fevereiro deste ano 2.843 acidentes rodoviários, que causaram 2.666 feridos e 681 mortos, estes números são arrasadores e ao mesmo tempo Ler mais >>>

Em Angola, o inimigo atual é o crime, a criminalidade está tomar proporções alarmantes e inaceitáveis!

Não se combate a criminalidade por decreto, a sociedade angolana  vive em desequilíbrio social com um fosso enorme entre ricos e  pobres  que não param de aumentar e se continuar assim vai precisar de um Estado cada vez mais opressor a determinar seu modo de vida, impor a ordem e a lei, porque a criminalidade é fruto da pobreza , Ler mais >>>

Angolanos atentos às renováveis em Portugal

1aaabbbcccacopratuga

“A estratégia é olhar para fora. Os ativos não podem estar todos cá dentro”, garantiu Manuel Vicente,não percebemos o que isto quer dizer, entretanto as falhas de luz são frequentes em Angola,principalmente em Luanda, onde a maioria das casas vive com um gerador.As formas de armazenamento de energia solar ou éólica que existem são pouco eficientes quando comparadas com as formas de armazenamento de petróleo, gás ou até energia hidroeléctrica, por isso é conveniente que o governo faça  análises exaustivas do custo-benefício e  as políticas públicas na priorização do desenvolvimento de infra-estrutura devem ser revistas e melhoradas tendo sempre em vista o interesse público, essa das renováveis fazerem parte da estratégia angolana para levar energia barata às províncias mais pobres,é uma anedota..(Comentário CAI)

Dois ministros angolanos, o mesmo tema: renováveis. Luanda está interessada na tecnologia portuguesa e o assunto foi discutido ao mais alto nível. Manuel Vicente e Abraão Gurgel, ministro da Economia, avaliaram o tema na última quinta feira com Álvaro Santos Pereira, em reuniões separadas. “As renováveis são uma área que nos interessa”, admitiu Abraão Gurgel, juntamente com a “banca e outras reservas em áreas financeiras”.

Nas renováveis, o primeiro passo já foi dado: caberá a uma empresa portuguesa – a Gesto Energia – fazer o primeiro mapa geológico de Angola, a primeira etapa neste processo. As renováveis fazem parte da estratégia angolana para levar energia barata às províncias mais pobres.

Com uma economia muito dependente dos combustíveis fósseis, Luanda também está interessada em diversificar o seu mix energético, mesmo mantendo o foco no petróleo. Recentemente, Manuel Vicente, que foi presidente da Sonangol durante 12 anos, assumiu ao Financial Times (FT) que um dos objetivos do governo passa por multiplicar por cinco a produção de barris, elevando–a para 500 mil barris/dia. Com explorações em cuba e no Iraque, entre outros países, a Sonangol adquiriu, em 2009, a brasileira Stalefish. “A estratégia é olhar para fora. Os ativos não podem estar todos cá dentro”, garantiu Manuel Vicente.

Falhas de luz são frequentes em Angola. Até em Luanda, onde a maioria das casas vive com um gerador


Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo